O novo cenário audiovisual: a produção atual de séries para as múltiplataformas

  • Postado em 27 de julho de 2020

As transformações tecnológicas estão modificando os hábitos de produção e de consumo do conteúdo audiovisual. Um sintoma dessas mudanças são as séries produzidas para a internet. O que se observa é um processo de junção ou como alguns denominam um processo de hibridização. Uma intersecção entre as diversas mídias como a televisão e o cinema, mas unificadas e adaptadas para a era da internet, como o conteúdo que está sendo produzido pelo Netflix.

O cenário midiático atual abarca os mais diferentes tipos de produção audiovisual. Seja no campo jornalístico ou do entretenimento, o que se observa é uma crescente expansão de gêneros e formatos na plataforma digital. O barateamento dos equipamentos e as ferramentas disponíveis (principalmente as gratuitas), além, de canais como o Youtube que servem para difundir os conteúdos.

A Netflix, empresa norte-americana criada em 1997, que oferece serviço de TV por internet via streaming, tem se destacado na produção de séries que fundem perspectivas televisivas e cinematográficas. Aparentemente o que se percebe é o aumento desse tipo de conteúdo, que muitos denominam de híbridos. E que podemos entender como a junção dos modos do fazer audiovisual televisivo e cinematográfico, mas convergidos para a plataforma digital e gerando um novo tipo de audiovisual. Exemplos como Sense8, Narcos, House of Cards e Marco Polo, demonstram essa tendência híbrida do conteúdo audiovisual na internet.

Não apenas o processo de convergência entre os diversos meios são vistos, mas o aumento e a popularização dos dispositivos móveis e a mobilidade da internet tem facilitado a conectividade, praticamente, 24 horas por dia. Todo esse desenvolvimento tecnológico propicia que esse novo conteúdo possa ser acessado, assistido e compartilhado nos mais diversos tamanhos de telas como os smartphones e tablets.

Seria um novo modo de se fazer TV ou cinema na era da internet? Ou ainda será necessário compreender esse novo universo de conteúdos múltiplos para ser conceituado? Como os espectadores compreendem esse novo tipo de conteúdo? As perguntas ficam à espera dos avanços e caminhos que a revolução tecnológica tomará nas próximas décadas. E uma reflexão para a campo da comunicação sobre os gêneros e formatos televisivos, cinematográficos, híbridos ou não, que o conteúdo audiovisual perpassa no século XXI.